Entenda como funciona o táxi aéreo em viagens de pesca

Fretamentos / Entenda como funciona o táxi aéreo em viagens de pesca

Mudar idioma: pt-brPortuguês

A pesca esportiva é um dos nichos do turismo que mais crescem no mundo. Aqui no Brasil, onde os principais destinos estão longe dos grandes centros e a infraestrutura de transportes é falha, a indústria custa para se desenvolver. Com expertise em táxi aéreo, a Flapper propõe encurtar essas distâncias e trazer comodidade a um mercado que amadurece com o passar dos anos. Em parceria com a especialista Buscapesca, agora é possível voar a bordo de aviões privados em sua próximas viagens de pesca.

Estima-se que 25 milhões de brasileiros são adeptos da pesca esportiva, público suficiente para movimentar mais de R$ 1 bilhão por ano no turismo de pesca. Fundado em 2016 pelo aficionado em pesca Leandro Louza Fernandes, o Buscapesca surgiu para preencher lacunas que existiam nesse mercado. Estabelecido como uma plataforma de comparação de preços de produtos e viagens, ele evoluiu e se tornou um marketplace direcionado exclusivamente à pesca.

A parceria entre a Flapper e a Buscapesca visa inaugurar uma nova fase no turismo de pesca do Brasil. Com a oferta de voos privados em empresas regulamentadas e pacotes de viagens tutorados por especialistas, o pescador brasileiro tem agora a oportunidade de realizar viagens com conforto e praticidade inéditos no país.

Principais destinos

As regiões Norte e Centro-Oeste são os maiores pólos do turismo do esporte no Brasil, mas não são as únicas a oferecer experiências únicas neste mercado. O CEO da Buscapesca destaca as suas rotas pré-determinadas, partindo de todas as capitais, para destinos em alta no país.

Pousadas da região amazônica são acessíveis pelos aeroportos de Manaus (SBEG e SWFN) e Barcelos (SWBC). O pantanal mato-grossense possui os aeroportos de Cuiabá (SBCY) e Cáceres (SWKC). No estado de Goiás, São Miguel do Araguaia (SQM) atende a cobiçada região do rio Araguaia.

Além disso, para quem prefere destinos oceânicos, Salvador (SBSV) e Aracaju (SBAR) são excelentes opções. No segmento de lagos, Três Lagoas (SSTL), no Mato Grosso do Sul, Três Marias (SNAS), em Minas Gerais, e Serra da Mesa (SBMC), em Goiás, são os destaques.

O que levar

Imagina-se que viagens voltadas para isso exijam um aparato complexo e volumoso, como barcos, equipamentos e ferramentas. Nas viagens a bordo da Flapper, o passageiro não precisará se preocupar com isso. O motivo está nos pacotes all inclusive com que a Buscapesca trabalha. Fernandes afirma que seus clientes “saem de casa com bolsa de pesca, tubo de vara, uma malinha de roupa e só”.

Segundo ele, cada pacote tem suas especificidades. Porém, é praxe que seja oferecido, além das diárias na pousada, café da manhã, almoço, jantar, bebidas, petiscos, barco, piloteiro, iscas e ainda mimos, como fogo de chão na lagoa ou na beira do rio. “Hoje o pescador ficou exigente, tem pescaria que é 6 estrelas”, brinca.

Vantagens do voo privado em uma viagem de pesca

Um dos fatores que fazem com que a pesca esportiva seja uma prática tão conectada com a natureza é a busca por destinos pouco alterados pela presença humana. O pescador quer viajar para longe e chegar a locais inóspitos. Em um país continental como o Brasil, isso significa longas rotas que envolvem horas de estrada (muitas vezes sem pavimentação) ou trechos de navegação em rio.

Ao voar para uma viagem de pesca, o cliente se beneficia ao máximo da capacidade de personalização do setor de táxi aéreo. “O passageiro voa no horário e no dia que quiser, sai de onde quiser e pousa onde quiser”, reforça Leandro, enfatizando a grande vantagem de não precisar depender da malha e operação da aviação comercial.

O que muitos não sabem é que diversas propriedades no interior do país possuem suas próprias pistas, capazes de realizar pousos e decolagens de aviões de pequeno porte. Neste cenário, dependendo do destino de origem, o passageiro pode partir do aeroporto mais próximo de sua casa e chegar diretamente na pousada em que ficará hospedado.

Mesmo que uma pista ou heliponto não esteja homologada pela ANAC, ainda assim é possível utilizá-la após uma avaliação dos especialistas da Flapper, que irão checar as condições de pouso e o equipamento adequado para a operação.

Para esses voos, a Flapper recomenda a utilização de aeronaves monomotor, turbo-hélices e jatos de pequeno porte. Modelos como o King Air C90, por exemplo, transportam confortavelmente de 4 a 6 passageiros e têm autonomia para realizar voos de até 6 horas. O Hawker 400A é a escolha para aeroportos com melhor infraestrutura. Ele tem capacidade de transportar até 7 passageiros, além de ter autonomia de voo superior a 5 horas.

Ainda assim, se os grupos envolvidos na viagem são maiores ou se há a necessidade de voar grandes distâncias, a Flapper possui em seu portfólio centenas de modelos. Abrangendo todas as categorias da aviação executiva, certamente haverá uma aeronave que supra as suas necessidades.

Como reservar

Detalhes sobre os pacotes de viagens de pesca oferecidos podem ser acessados no site oficial da Buscapesca. Pelo aplicativo e site da Flapper, o usuário tem acesso a cotações instantâneas de fretamentos, podendo definir os locais de embarque e desembarque, a data e o horário da operação e o tipo de aeronave ou helicóptero utilizados. Os clientes também podem entrar em contato com a nossa equipe de especialistas por Whatsapp e telefone:

whatsapp whatsapp

Our Services: Fretamentos

See also

  • Entenda como funciona o táxi aéreo em viagens de pesca

    See post
  • Táxi Aéreo em Curitiba – Como Contratar

    See post
  • Categorias de Aviões de Táxi Aéreo – Entenda as Diferenças

    See post